O Cromo Informatico

terça-feira, outubro 25, 2005

The thing that should not be

Este é um assunto controverso e que eu gostaria de tratar com um pouco mais de atenção. Deixe-mos as cromices para depois.
Qual não foi o meu espanto quando soube da noticia de que haviam patenteado um bolo. Um bolo meus senhores. Algo tão banal como um bolo, mas algo tão bom e tão singular como um bolo.
É um facto e e é por isso mesmo que existem patentes, para ganhar dinheiro a partir de uma coisa que muitos querem.
As pessoas de maneira geral não vêm os perigos das patentes. Vou começar por dar exemplos.
Portugal tem uma Gastronomia quase que inigualável em todo o mundo, felizmente nunca ninguém proibiu a minha mãe de fazer aquele maravilhoso doce do céu - que parece vir mesmo do sitio que os católicos chamam céu! Há coisas que chegam até ser impensáveis, como por exemplo patentear um cozido, ou aquele (insiram aqui a comida Tuga que mais gostam de comer até não poderem mais!).
Imaginemos um cenário ainda pior. A gripe das Aves torna-se uma Epidemia, que arrasa todo mundo e um laboratório encontra uma vacina, ou uma cura! Mas patenteiam-na e pedem valores astronómicos por produto. Os Estados mais ricos vão comprando alguns produtos e racionalizando a sua aplicação, enquanto que os mais pobres nem sequer a vêm. Ainda nos restam várias hipóteses: tentar chegar a acordo com o laboratório, para crédito, regalias, etc. Esperar 20 anos. Tentar a todo o custo criar outra sem quebrar a patente da primeira ou então criar outra mesmo a partir da primeira - crime! Poderia ainda pensar no mesmo principio que pode ser utilizado no software- até que ponto os vírus não são criados pelas empresas de anti-vírus!...
No meu ponto de vista não está em causa a maneira como se irá criar um novo produto, mas sim esta aberração, que a nossa sociedade permite, chamada patente.
Como é que se permite que se possa negar algo em muitos casos tão importante como a cura da pior Epidemia?
Durante muitos anos as patentes foram usadas para enriquecer pessoas com a capa de ser para cobrir o investimento do inventor e garantir-lhe a exclusividade e o ganha pão por 20 (!) anos. E ainda como factor de desenvolvimento, segundo o qual, se a formula for escondida, outros terão que evoluir também e descobrir e desenvolver uma outra fórmula para o mesmo problema.
Eu não creio que isto faça sentido! É um atraso no desenvolvimento e evolução! Se eu já descobri a roda, porque é que alguém vai ter de descobrir outra coisa para as muitas funções que a roda tem? Já alguém pensou que a roda é passível de ser patenteada (agora, felizmente, duvido!)? A roda ao longo de séculos forneceu muitas utilidades à Humanidade e felizmente na idade da pedra eram macacos e não burros! E se em vez de se criar a roda e proibir outros de criarem a roda, porque não criamos a roda usufruímos do que ela tem para nos dar -desde a primeira roda e das suas poucas utilidades até as rodas dos vaivéns que nos levam ao espaço- e partimos para outra!
Multinacionais patenteiam tudo o que fazem e têm equipas de advogados para se certificarem que outras empresas não utilizam a sua tecnologia. As PME's não têm capacidade monetária de estar a pagar a advogados para verificar se cada passo que dão está legal ou não. O que acontece muitas vezes é que essas PME's tem simplesmente o seu negócio e rezam para não estarem a infrigir nenhuma patente e para que se estiverem as grandes empresas detentoras dessas patentes não as encrminem porque se o fizerem é o seu fim.
Desde as formas mais estúpidas e egoístas de patentes até as mais úteis passando pelos perigos que trazem para a nossa sociedade. As patentes ainda estão por cá e parece que por algum tempo por cá estarão nesta sociedade do dinheiro pelo dinheiro. Alguém que faça alguma coisa.

sexta-feira, outubro 21, 2005

A escola mais moderna de Portugal

Já viste aquele anuncio do programa da sala de aula mais moderna da Europa?
Já! respondi-lhe.
E então que achaste??
Sinceramente? É mesmo à Tuga... Tens a sala de aula mais moderna da Europa, mas há escolas em Portugal que nem um computador têm... E tu já ouviste falar do que fizeram na junta da Extremadura Espanhola?
Não!
Toda a Junta da Extremadura esta ligada por uma rede ADSL de 2Mb/s, todas as salas, de todas as escolas têm em cada mesa um computador a correr GNU/Linux. Os computadores são usados em todas as disciplinas como elemento dinamizador da actividade de aprendizagem.
Tinha que ter Linux...
Já sabes da minha preferência em software de código aberto, para além disso o que eles pouparam em licenças de software, os acordos que conseguiram e os apoios, entre outros, da UE, permitiram que este projecto se tornasse realidade.
Mas em Portugal é assim: gastam rios de dinheiro em publicidade, concursos de televisão, etc.
No fim de tudo para quê?
Para limpar a imagem da operadora de telefones!
Sim porque essa empresa agora já nem discute os preços, a forma de publicidade tem de ser outra, porque a concorrencia é esmagadora!
Provavelmente daqui a uns anos não será o que é hoje. Assim como a Microsoft..
Sim, eu sei... Dava muita conversa!